Hoje temos um post escrito por Felipe Levra, que gentilmente nos permitiu compartilhar com vocês esse texto de altíssima qualidade sobre tradução juramentada com dicas dos sonhos sobre como economizar!

Vocês vão se amarrar!

Compartilhando Experiências

Oi pessoal. Queria compartilhar com vocês uma experiência que tive, que por mais desagradável que seja, me trouxe bons aprendizados, quem sabe ajude vocês também. Lá vem textão, sim, sorry! Eu pensei muito a respeito e achei melhor detalhar quanto possível fosse e que quanto mais pessoas soubessem melhor, para que vocês possam evitar os mesmos percalços que eu.

Eu e minha esposa planejamos ir ao Canadá agora em 2018. Antes de chegarmos a esta decisão, tenho certeza que vocês, independente do status de suas imigrações, também, como nós, se sentiram ansiosos, em dúvida, preocupados, etc. Nós também nos sentimos e continuamos nos sentindo.

Uma das questões principais, até mesmo para informar aqueles que estão no começo do processo, é de ordem financeira, é óbvio. Tudo custa – e custa muito: taxas de imigração, cachê da consultoria, grana pra FedEx, gasolina para deslocamentos até cartórios, estacionamento, etc.

Todo mundo depois que faz as contas! hahaha

Nesta planilha de custos, uma das coisas que mais custa, perdendo apenas talvez para as taxas oficiais de imigração, são as traduções juramentadas.



Tradução Juramentada? Não pode ser tradução normal?

Para quem não sabe, o governo canadense não aceita traduções simples dos seus documentos. Ou seja, tio, avô, amigos, conhecidos quaisquer não podem traduzir seus documentos.

Para que o órgão de imigração canadense aceite seu processo, é necessário uma pessoa legalmente habilitada que possa autenticar as versões traduzidas dos seus documentos – simples assim.

É aí que começa a jornada. As traduções juramentadas no Brasil são reguladas pelas Juntas Comerciais de cada Estado. Por favor, aqueles que sabem mais me corrijam se estiver errado, mas os tradutores aplicam para um concurso público, caso passem, ganham um número oficial e dali eles são reconhecidos legalmente como personas – tal como tabeliães – que podem emitir traduções juramentadas.

Cada Junta Comercial tem uma lista de tradutores, com os dados ou empresas de cada um, onde você pode solicitar orçamentos, etc. As traduções são cobradas por laudas (folhas) e por tipo de documento. Se você solicita uma tradução juramentada de uma declaração simples, é um valor. Se você pede uma tradução juramentada de um contrato, é outro valor, mais caro.

O detalhe importante é o seguinte: o valor das laudas de traduções juramentadas é também regulado pelas Juntas Comerciais de cada Estado e varia muito. Não só isso, cada Junta Comercial define o tanto de caracteres que uma lauda pode conter. Ou seja, tem estados cujas laudas-padrão são de 1300 caracteres. Tem estado com 1000 caracteres. Uma tradução com 300 caracteres a mais com o valor de lauda menor do que seu estado pode impactar muito seu orçamento, principalmente se você tem muitos documentos a traduzir. Por isso que é super bom pesquisar!

Encontrando um Tradutor Juramentado

Nossos passos começaram por uma indicação de uma tradutora juramentada indicada pelo nosso consultor, que vou chamar aqui de “Anelise”. A Anelise me tratou muito bem inicialmente por e-mail e tudo. O detalhe do meu processo – e eu já estava preparado por conta disso – é que eu precisava traduzir muitos documentos, como contratos, etc. Eu já sabia que ia ser caro.

Como funciona? Você manda os PDFs pro profissional analisar a quantidade de caracteres. E você tem meio que confiar nele pra te dizer quantos caracteres têm seus documentos e quanto vai custar. Em SP, onde moramos, na época, a JCSP regula 86 reais por lauda de teor técnico, perto de 1000 caracteres. A Anelise me volta com um orçamento absolutamente fora da realidade. Fiquei pasmo. Como resolver esse problema?

Não sabe? JOGA NO GOOGLE!

Daí que saí caçando as informações que compartilhei com vocês acima. Fiz outros orçamentos – dos mesmos documentos!!! – em SP, RJ, RN, DF… Gente, vocês podem acreditar em mim ou não, mas recebi orçamentos que variavam entre 8.000 e 32.000 reais.

Os tradutores nos seus contatos iniciais vão falar que os orçamentos são regulados pelas juntas comerciais. Mas, a verdade pura é: eles cobram quanto querem, pois a demanda é alta e são poucos profissionais pra atendê-los. Pra piorar, a qualidade do serviço é tipo pública. Eles atendem quando querem e dá pra imaginar o tamanho do “bico” quando você recebe um e-mail atravessado respondendo à revisão de um orçamento. Ou simplesmente nem respondem pedidos de orçamento. Ou seja, como última etapa para sair deste país, você VAI PRECISAR ENFRENTAR UMA MÁFIA, máfia esta das traduções juramentadas.

Tradução Juramentada do Exterior? SIM, SENHOR!

Daí o que rolou é que eu encontrei uma empresa canadense sediada em Toronto chamada Docsbase. Eles são tipo one-stop shop, tem todo o tipo de tradução. Mas o que me chamou a atenção é que eles também fazem traduções juramentadas. Eles têm um tabelião dentro do escritório deles, reconhecido legalmente pelo governo canadense.

Eles te mandam as traduções por correio normal dentro do valor do orçamento. E se você tiver pressa, te mandam via FedEx por uma taxa adicional. Parecia ser incrível. Mas e o valor? Mandei meus PDFs e fiz o orçamento. Não demorou muito e veio a primeira resposta, acusando o recebimento do meu email. Em menos de 3 horas, veio o orçamento que me jogou pra trás: ficou menos de 1/3 do valor do que se tivesse mandado fazer no Brasil.

Daí, minha questão principal era: será essa tradução aceita pelo CIC – órgão de imigração canadense? Meu consultor pediu para se certificar de que eles eram ATIO-certified. Ou seja, que tinham convênio com a associação profissional de tradutores-intérpretes da província de Ontario. O Alex, que me atendeu, me confirmou com detalhes e também mencionou que trabalham com o CIC há mais de 12 anos.

Resolvi arriscar e mandei traduzir uma parte de meus documentos. Paguei via PayPal (experimente tentar pagar com cartão de crédito suas traduções juramentadas no Brasil).

Em alguns dias, me mandaram os documentos de Word para que eu analisasse as traduções antes de juramentá-las. Uma vez aprovadas, eu paguei uma pequena taxa adicional para que chegassem ao Brasil via FedEX. Que surpresa: a qualidade era estupenda, as certificações muito bacanas (vejam imagens abaixo). Resolvi traduzir o restante dos meus documentos com eles. Agora, meu processo está na mão da CIC.

 

Pesquisar é TUDO!

Bem, é isso. Lição do dia: pesquisem, pesquisem muito. Não se deixem levar pelo afã do primeiro orçamento. Você pode – e deve – abaixar o preço, afinal é um serviço prestado e não um favor. Nosso dinheiro não cai de árvores. Merecemos sim, ser mais bem tratados. E nosso sonho já custa caro, por que pagar a mais por ele, certo?

PS: Caso optem pela docsbase, eu usei o código DOCSBASEBR e deu certo: me deram ainda mais um descontinho 😉

TEXTO POR: FELIPE LEVRA – gentilmente cedido para publicação no nosso blog. MUITO OBRIGADA!

Quer compartilhar alguma experiência que teve no seu processo? Você também pode ajudar outras pessoas sem precisar criar um blog inteiro para isso! Mande para gente o seu texto em word. Envie para contato@casalnerdnocanada.com.br.

E nos vemos no Canadá galera!