Coisas polêmicas do Canadá

Começamos, na primeira parte sobre esse tema, a apresentar alguns pontos diferentes na cultura do Canadá. A gente falou, por exemplo, sobre o “faça você mesmo” e o respeito ao espaço pessoal.

Hoje é dia de trazer mais exemplos de hábitos diferentes dos nossos. Além disso, vamos discutir pontos polêmicos que têm a ver não só com costumes, mas também com as leis do país.

A cultura do “menos é mais”: festa simplona de criança

festa de aniversárioSe no Brasil o costume é alugar casa de festas para dezenas de pessoas, aqui a cultura é bem diferente. No Canadá, festa de criança é algo bem menos pomposo.

Os pais geralmente juntam alguns poucos colegas do filhote em um parque ou em casa para brincar e cantar parabéns. E são só as crianças, viu? Os pais chegam, deixam os filhos e voltam para buscar na hora marcada.

Os pratos servidos também costumam ser mais saudáveis e menos variados. Se você espera festas de criança para se empanturrar de salgadinho e refrigerante, pode achar as daqui sem graça. A razão é que o mais comum no Canadá é ter suco, vegetais para petiscar e um cupcake por criança. E fim de papo.

Igualdade social: a diversidade como cultura

Outra marca interessante da cultura canadense é a valorização do respeito ao próximo e da diversidade. É claro que existe preconceito, mas a sensação é de que o Canadá está bem mais à frente nesse quesito.


Raça

Pessoas negras ou de outras nacionalidades têm mais oportunidade de alcançar seu potencial e não é incomum vê-las em posições de chefia. Uma questão que é até hoje uma pedra no sapato do Canadá, porém, é a discriminação aos povos indígenas. Apesar de haver diversas políticas afirmativas para as chamadas First Nations, ainda falta muito para chegar à igualdade.

Religião

É comum encontrar templos de diversas religiões por todo o país, com cerimônias realizadas em diferentes idiomas. Com o crescimento da islamofobia, no entanto, casos de discriminação à população muçulmana acontecem também no Canadá.

Gênero

Embora a desigualdade de gênero seja um problema mundial, no Canadá vemos esforços concretos para melhorar esse quadro. Muitas empresas têm uma cultura de inclusão e buscam equilibrar a balança.

Segundo o Fórum Econômico Mundial, o Canadá ocupa o 19° lugar em termos de igualdade de gênero. O Brasil aparece bem mais abaixo, na 92ª posição do ranking.

Licença-maternidade e parental

A concessão de licença-maternidade é diferente em termos de remuneração, pois não se recebe o valor integral do salário. No entanto, ela pode ser estendida por até 1 ano e meio.

O pai pode compartilhar um período da licença e tem direito a até dois meses extras para cuidar do bebê. Casais homoafetivos e pais adotivos também são elegíveis ao benefício.

Gravidez e parto

GravidezEnquanto no Brasil a cesariana impera, no Canadá a regra é o parto natural (também chamado de parto normal). É claro que existe a possibilidade de cesárea, mas no geral quando há indicação médica.

Isso pode ser uma surpresa para muitas brasileiras. A OMS considera que o número ideal de cesáreas em um país deve girar entre 10 e 15%. No entanto, o parto cirúrgico responde por 55% dos nascimentos no Brasil. Esse número chega a mais de 80% na rede privada. Já no Canadá, as cesarianas são cerca de 30% dos partos.

Como a Raíssa contou aqui, a gestante pode escolher ser acompanhada por um obstetra ou uma midwifeMidwives são profissionais de saúde que dão suporte para gestações de baixo risco. Na maioria dos casos, a mulher também pode escolher dar à luz em casa ou em um hospital.

Direitos LGBT

O Canadá foi o quarto país do mundo – o primeiro fora da Europa – a reconhecer o casamento gay. A primeira província a legalizar a união civil entre pessoas do mesmo sexo foi Ontario, em 2003. Outras províncias fizeram o mesmo nos anos seguintes e a decisão federal veio em 2005, com o Civil Marriage Act.

Eutanásia

O Canadá reconheceu em 2016 o direito à assistência médica para morrer. Essa opção é possível apenas para pacientes terminais, maiores de idade e que tenham direito à saúde pública canadense.

Aborto

O direito ao aborto foi legalizado no Canadá em 1969. Inicialmente, ele foi permitido apenas para casos em que havia riscos à vida ou à saúde da mulher. Em 1988, essa restrição foi considerada inconstitucional e o direito foi estendido a qualquer mulher que deseje interromper uma gestação. Regulação e acesso, porém, variam entre as províncias.

Maconha

O Canadá se tornou em 2018 o segundo país do mundo a legalizar a maconha, atrás apenas do Uruguai. Isso fez com que a população possa cultivar, comprar e usar a cannabis tanto para fins medicinais quanto recreativos. Porém, há restrições semelhantes às que regulam o álcool. Por exemplo, existem limitações dos locais de consumo e proibição de uso ao dirigir.

Direitos trabalhistas

No Canadá, a maioria das regras relacionadas a trabalho varia de acordo com a província. Por isso, para saber sobre os detalhes, pesquise sobre os employment standards e workplace rights da sua província.

Salário

SalaryDiferente do Brasil, o salário mínimo corresponde a um valor por hora, que é reajustado periodicamente pelo governo. Muitos recebem, assim, de acordo com as horas de trabalho acumuladas ao longo dos dias anteriores. Existem também casos em que o funcionário recebe um salário pré-definido, em vez de ser pago por hora.

Enquanto alguns funcionários trabalham full-time (30 horas por semana ou mais), outros trabalham part-time (menos que isso). Como às vezes os turnos são irregulares, há pessoas que trabalham em duas ou mais empresas.

A frequência de pagamento também é diferente. Em vez de receber uma vez por mês, no Canadá geralmente o salário é pago a cada 15 dias. Não há décimo terceiro salário e as vagas costumam ser anunciadas com o salário por hora ou por ano. Sendo assim, o cálculo de quanto chega à sua mão todo mês fica por sua conta. Para conferir os descontos na sua província e quanto seria seu salário líquido, clique aqui.

Transporte e alimentação

Enquanto no Brasil temos carteira de trabalho, no Canadá o contrato é o documento que formaliza o acordo profissional. Além dos empregados geralmente terem que arcar com os gastos de transporte, receber vale-alimentação também é raro por aqui.

O mais frequente é cada um trazer seu almoço de casa, muitas vezes consumido na mesa do escritório. O intervalo também costuma ser curto: são geralmente 30 minutos de pausa a cada 5 horas seguidas de trabalho.

Benefícios

Alguns benefícios frequentes são plano odontológico e plano de saúde (para gastos não cobertos pela saúde pública). Algumas empresas oferecem também pensão privada e participação nos lucros, entre outras vantagens.

Férias

Quem está acostumado a tirar um mês de férias todo ano no Brasil pode se decepcionar no True North. Isso porque o período anual de férias remuneradas costuma variar entre 10 e 15 dias. A boa notícia é que a duração das férias pode aumentar à medida que o funcionário ganha tempo de casa.

Desperte sua veia negociadora

Uma coisa interessante no Canadá é que muitos empregadores são flexíveis em relação a salário e benefícios. Por isso, em vez de aceitar uma oferta de cara, sempre vale sondar se a empresa está aberta à negociação. Vai que numa dessas você consegue um negócio melhor?

Você já conhecia essas diferenças da cultura canadense? Não deixe de comentar o que chamou mais a sua atenção.


4 COMENTÁRIOS

  1. Ótimo texto, tenho acompanhado o blog recentemente e gostado bastante, apenas sugiro que modifiquem o termo “pessoa de cor”, esse termo é considerado racista, acredito que a intenção seja dizer “pessoas negras, ou pessoas pretas” – é o termo correto e como deve ser usado.
    Uma crítica construtiva, espero que não levem a mal.
    Um abraço,

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui