The Canadian way: entenda a cultura canadense – Parte 1

Mesmo em um país multicultural como o Canadá, é possível identificar costumes que orientam a convivência das pessoas no país

Cultura canadense - pt 1

Você pode pensar que tudo o que viu em filmes sobre a cultura americana se aplica ao Canadá. Ledo engano.

Quem acha que o American way of life domina o vizinho de cima pode se surpreender com as diferenças. Há variações culturais mesmo dentro do próprio Canadá, a depender da região ou da origem de cada um.

Hoje vamos falar sobre a cultura do Canadá e alguns dos hábitos que fazem dos canadenses um povo único. Mesmo com a mistura de tantos povos num só. Além disso, vamos dar algumas dicas de etiqueta pra você não entrar em nenhuma saia justa.

Gentis, sim. Trouxas, não

A gentileza é um dos aspectos mais conhecidos da cultura canadense ao redor do mundo. Isso porque as pessoas aqui realmente são educadas e simpáticas no geral.

SorryDe tão presente no cotidiano do país, o sorry virou quase uma marca registrada do Canadá. Às vezes, o canadense se desculpa mesmo quando você é o responsável por ter esbarrado nele.

Além disso, as pessoas adoram puxar papo, seja no elevador, no ponto de ônibus ou no mercado. O tema principal? Ele, o clima.


Mas quem acha que isso faz com que o canadense seja “bonzinho” ou “trouxa” está enganado. Primeiro porque, como em qualquer lugar, também existe gente grosseira e mau caráter no Canadá.

E, segundo, porque a gentileza canadense não é sinônimo de ingenuidade. As pessoas também estão atentas aos riscos e a tentativas de serem passadas pra trás. Inclusive, sofrer golpe – aqui chamado scam – infelizmente é algo bastante comum por aqui também.

Por fim, apesar da simpatia, não espere ganhar intimidade com as pessoas rapidamente. Conversas sobre temas pessoais, convites para eventos privados e mesmo conexão em redes sociais levam tempo por aqui.

Deixa assim ficar subentendido

Um outro ponto curioso da cultura do Canadá é a maneira indireta com que os canadenses falam. Dificilmente você vai receber uma crítica diretamente. O mais provável é que ela venha em forma de comentário sutil e educado. Canadenses buscam evitar conflito a todo custo. Por isso, a gente tem que estar atento e ler nas entrelinhas.

Isso acontece especialmente no ambiente de trabalho, para evitar situações que possam ser entendidas como assédio moral. Ou seja, o que parece uma sugestão do seu chefe pode, na verdade, ser um puxão de orelha.

Que ano é hoje? A cultura do low tech

Tecnologias de ponta dividem espaço com outras que a gente já não usa no Brasil há décadas. Enviar fax, por exemplo, ainda é uma realidade. É comum encontrar o aparelho em consultórios médicos ou no contato com prestadores de serviços públicos, por exemplo.

Outra coisa bem diferente é a quantidade de funcionalidades em aplicativos. Meu app do banco brasileiro, por exemplo, oferecia muito mais funções que o canadense.

Muitos sites, mesmo de empresas de tecnologia, não têm opções virtuais para solucionar problemas. Assim, a gente precisa entrar em contato por telefone com muito mais frequência.

Consumo consciente

O Canadá é um país em que o cuidado com o meio ambiente é muito presente no debate público. Isso se manifesta em redução de plástico e uso de materiais biodegradáveis em produtos, por exemplo. No comércio, há diversas opções mais sustentáveis e de empresas que não realizam testes em animais.

A força do movimento Buy Local (ou Compre Local) também é grande no Canadá. Muitos consumidores dão preferência a comprar com produtores e vendedores canadenses, para apoiar a indústria local.

Um outro aspecto é uma cultura que parece ser menos consumista do que a americana. Quando um bebê nasce, aqui é muito comum receber doações de artigos usados. Nas redes sociais, também há diversos grupos de doação e venda de produtos de segunda mão.

A cultura do “faça você mesmo”

Faxina no CanadáServiços como diarista, montagem de móveis e cabeleireiro são considerados luxo no Canadá. Diferente do que acontece no Brasil, a maioria desses profissionais é bem remunerada por aqui. E, convenhamos, com toda a razão, né?

Por isso, o do it yourself impera. No Canadá, é muito mais frequente que as pessoas façam a própria faxina. Para não gastar uma grana alta, cuidados com o jardim, pequenos consertos e até mudança costumam ser feitos por conta própria.

Uma vida mais leve

A segurança é um dos motivos mais citados por brasileiros pra explicar a vontade de vir pro Canadá. E essa razão é justificada: as cidades canadenses costumam de fato ser bem menos afetadas pela criminalidade.

Se a gente pegar as taxas de homicídio, a diferença é gritante. Em 2018, o Brasil registrou 57.358 assassinatos, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. No mesmo ano, o Canadá teve 651 homicídios (pouco mais de 1% do número brasileiro).

Com isso, é comum ver pessoas usando seus celulares e laptops na rua. É claro que não dá pra baixar a guarda 100%, afinal, furtos e golpes infelizmente também acontecem aqui. Mas, no dia-a-dia, a vida é mais tranquila.

Em vez de viver pra trabalhar, trabalhar pra viver

É comum ouvir de brasileiros também que sentiram muita diferença no ritmo de trabalho. No Brasil, a gente costuma trabalhar freneticamente, sair depois do horário e levar trabalho pra casa. Aqui, no entanto, muitas empresas valorizam o work-life balance, o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

O trabalho remoto também é bastante difundido no país. Muitos funcionários têm um esquemas de trabalho flexível. Assim, podem alternar dias de trabalho em casa e no escritório ou trabalhar exclusivamente em home office.

A verdade está lá fora

A paixão por atividades ao ar livre também é um traço da cultura canadense. Andar de caiaque ou bicicleta, caminhar na rua e acampar são hobbies populares por aqui. E não pense que isso acaba no inverno, não. Muita gente também aproveita o frio fazendo trilha, esquiando ou andando de snowmobile.

Um outro hábito é passar fins de semana e férias em cabins ou cottages. Essas são casas de campo ou praia rústicas, geralmente equipadas com itens como lareira e churrasqueira. Em locais mais isolados, algumas também têm as chamadas outhouses, que são banheiros na parte externa da casa. Será que foi daí que surgiu isso da gente falar casinha como sinônimo de banheiro (pausa para reflexão).

Etiqueta canadense

Cada um no seu quadrado

As pessoas no Canadá valorizam muito sua privacidade e seu espaço pessoal. Assim, em uma primeira conversa, é melhor adotar uma certa distância e evitar contato físico.

Isso vale também para tópicos de conversa. Mesmo papos superficiais sobre temas polêmicos ou íntimos, como salário, religião e política, podem ser considerados invasivos.

Convém também não cumprimentar com beijinho ou abraço, principalmente em ambientes formais. Na dúvida, melhor partir pro aperto da mão. Até porque, em algumas culturas, ir além disso pode ser considerado uma ofensa.

A nossa mania de falar alto e interrompendo os outros também é considerada indelicada. Melhor maneirar no tom de voz e tomar cuidado pra falar só depois que o outro terminar.

Cuidado com o perfume

DumboQuem adora usar produtos com cheiro marcante pode ter problemas no Canadá. Isso acontece porque muitos lugares – principalmente empresas – têm política scent free. E o que isso significa? Que qualquer pessoa naquele ambiente deve evitar usar perfume, desodorante ou cosméticos com aroma.

O motivo é respeitar pessoas com sensibilidade a cheiros fortes. Tontura, náusea, dor de cabeça e crises respiratórias são alguns dos problemas disparados por uma inocente gotinha de perfume.

Pés pra que te quero

Ao chegar na casa de alguém, deixe os sapatos na entrada. Essa prática é especialmente importante no inverno, quando a neve que derrete das botas faz um lamaçal horrendo.

Mesmo em empresas, o mais comum é cada um deixar um sapato levinho no escritório pra passar o dia. A bota fica na entrada ou debaixo da mesa do trabalho.

Pontualidade canadense

Sabe essa coisa típica da cultura brasileira de chegar sempre uma hora depois do que está no convite? Se você fizer isso no Canadá, é capaz de encontrar todo mundo na saída.

Atrasos aqui são considerados algo extremamente indelicado, mesmo entre amigos. Em reuniões de trabalho, entrevistas de emprego e outras situações formais, então, nem se fala.

Alguém viu o sapo?

Um negócio curioso é que, enquanto arrotar em público no Brasil é falta de educação, aqui é super normal. E não é só com arroto discreto, não. Às vezes é um daqueles de tremer as paredes. Mesmo assim, ninguém se abala. A pessoa só se desculpa com um excuse me e vida que segue.

Desconecte-se

Quem está grudado no celular o tempo todo aqui precisa aprender a deixar o aparelho de lado. Mexer no telefone ou mesmo deixar o celular sobre a mesa durante uma conversa pega mal até entre amigos.

Fazer telefonemas pessoais durante o trabalho também é mal visto. Nesse caso, o mais indicado é deixar o celular no mudo durante o expediente. Guarde ele na bolsa e só tire na hora do intervalo ou de ir pra casa.

Algum dos itens que a gente citou surpreendeu você? As diferenças da cultura do Canadá já te fizeram pagar algum mico? Conta pra gente!


2 COMENTÁRIOS

  1. muito legal esse canadian way, gostei da maioria! Uma pergunta: é fácil achar coisas orgânicas por aí? Elas costumam ser bem mais caras, como ocorre no Brasil? Obrigada!

    • Laís, tem sim uma variedade boa de orgânicos aqui e eu acho eles bem mais acessíveis, mas eles são mais caros mesmo assim. No momento atual eu mesma ainda não compro orgânicos e sim os vegetais e frutas “normais”. Eles também tem um preço mais alto que no Brasil devido a toda a importação né? Que bom que você curtiu o Canadian way. O Canadá tá te esperando hehehe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui