Ontem – 19/11/2016 – entraram em efeito as mudanças no Express Entry quanto à forma de cálculo dos CRS points. Foram basicamente mudanças em 3 áreas e elas podem sim vir a te ajudar! Então vamos aos detalhes.

Quais foram as mudanças no Express Entry

Como já mencionado, 3 áreas mudaram: oferta de emprego, educação e o tempo de aplicação. O tempo de aplicação é a mudança mais simples então vamos começar por ele.

Tempo de Aplicação

Tempo de aplicação se refere à quantidade de dias que você possui após o recebimento do ITA para enviar seus documentos. Antes você teria 60 dias. Para nós esse era o tempo que teríamos para fazer nosso processo de upload e acerto dos documentos.

Agora você futuro aplicante terá 90 dias! Um mês inteiro a mais!

impressed

Mas não se engane, se você não adiantar muitas coisas e achar que é tempo de sobra, pode acabar perdendo o prazo. Sempre devemos ficar muito ligados com o prazo. #ficaadica

Para quem recebeu o ITA antes da mudança, verifique o seu pdf do ITA. Nele está escrita a data final para o upload dos documentos do seu processo. Siga o que está no seu documento e não espere que o CIC vá aumentar seu prazo por que os ITAs que vieram depois tem mais tempo.



Se quando você entrou no jogo a regra era 60 dias, valem as regras/instruções do seu ITA.

Educação

Antes dessa mudança, você ter feito um curso superior no Canadá ou em qualquer outro país te dava exatamente a mesma pontuação!

Ou seja, a GALERA que vai pro Canadá fazer College (normalmente de 2 anos) e paga uma fortuna nos cursos lá (é caro gente, vamos ser sinceros) não ganhava NEM UM PONTINHO a mais do que você que fez sua graduação ou mestrado no Brasil!

Agora você irá adicionar alguns pontinhos no seu perfil por ter estudado no Canadá! Funciona assim agora:

  • 15 pontos para quem recebe um diploma ou certificado de 1 ou 2 anos, após os estudos Canadenses.
  • 30 pontos para quem recebe um degree (“um grau de”), diploma ou certificado de 3 anos ou mais.
  • 30 pontos para quem finaliza um mestrado, doutorado ou um professional degree de pelo menos 1 ano acadêmico.

Mas só isso? “Esse governo Canadense não quer ajudar os estudantes mesmo”!!!

Não é tanto quanto algumas pessoas queriam. Muita gente sonhava que ia ser um acréscimo estilo pontuação de nomeação provincial, o famoso PNP (que te dá 600 pontos A MAIS!). By the way os PNPs continuam pontuando 600 pontos e são chave para quem não chega a 450 pontos de CRS. Com eles é ITA garantido no próximo draw.

Mas bem, no meu ver não tinha como ser isso tudo de pontos para educação! Iria INUNDAR o sistema deles com pessoas com pontuações muito altas! E acabaria que muita gente altamente qualificada mas que nunca pisou no Canadá nunca mais conseguiria ir! Seria o meu caso por exemplo.

Achei bem sensato da parte deles, tá?! Por que se eles aumentassem muito a pontuação para educação aí sim poderíamos dizer que eles só querem ganhar dinheiro com o processo de imigração.

Nós que somos altamente qualificados, isso quer dizer IELTS 8.0 ou acima e com mestrado ou doutorado de outros países (me incluo, sem falsa modéstia), teríamos que dar um jeito de ir pro Canadá estudar lá para conseguir concorrer no pool e receber um ITA.

Isso teria aquecido e MUITO a economia deles. Dá para ver que eles não tem intenção de te forçar a fazer um College para poder imigrar. Eles só querem pessoas qualificadas. Não julgo errado pois quanto mais gente com boas qualificações, mais chances do país crescer muito.

Teve muita gente reclamando nos grupos e fóruns! Acredito que esses reclamões achavam que com esse favorecimento aos “estudantes canadenses” não precisariam de mais nada, nem de um bom inglês. Isso seria uma afronta a quem estudou a vida inteira para ter um nível de inglês excelente e um mestrado/doutorado.

Significaria que o processo era só para ricos mesmo. Seria só pagar o College e estar dentro. Aí nem tinha por que os estudantes entrarem no pool né? Então vamos finalmente aceitar que eles querem gente QUALIFICADA e com INGLÊS FLUENTE que doí menos.

Oferta de Emprego

No modelo anterior para você ter uma “oferta de emprego” válida para o Express Entry era necessário que você recebesse um LMIA – Labour Market Impact Assessment. Esse LMIA lhe dava automaticamente 600 pontos. Ou seja, era a passagem de ida para o Canadá.

O sonho de muita gente (inclusive o meu logo no início) era conseguir um LMIA. Só que isso era BEM mais difícil do que parecia. O LMIA era um processo que precisava comprovar que não existia um canadense ou residente permanente que era capaz de realizar aquela função.

As empresas tinham que anunciar a vaga por 3 meses e explicar por quais razões não encontraram um funcionário adequado para a vaga. E comprovar assim que somente você estrangeiro era qualificado para atender as necessidades deles.

Além disso um LMIA era uma oferta de emprego permanente. Isso quer dizer que a empresa tinha que te querer para sempre e nem sempre as empresas estão dispostas assumir um compromisso de tão longo prazo.

Ou seja, era bem raro de alguém fora do Canadá conseguir um LMIA. Existem casos, mas num geral era um sonho. E quem já estava no Canadá com um emprego e o empregador queria dar o LMIA para ajudar a pessoa a ser residente permanente (e lógico, manter um bom funcionário), tinha que passar pelo mesmo processo.

Dava um mega trabalho e era uma das áreas do EE mais criticadas pelas empresas num geral.

Como ficou agora?

Eles mantiveram a necessidade de você ter um LMIA para a oferta de emprego ser considerada “válida”. Porém agora não exigem que o LMIA seja uma oferta de emprego permanente, podendo ser uma oferta de emprego por um ano no mínimo. Isso provavelmente vai estimular mais empresas a oferecerem LMIAs para funcionários.

Além disso, quem estava no Canadá com um visto temporário de emprego e que desejam ficar permanentemente, não precisarão de LMIA para conseguir os pontos de uma oferta de emprego válida.

Basta eles estarem a pelo menos um ano trabalhando para o mesmo empregador. Esse empregador deverá ser quem está oferecendo a oferta de trabalho, que deverá ser de mais um ano no mínimo. Essa mudança vale para quem está no Canadá dentro dos seguintes acordos:

  • The North America Free Trade Agreement;
  • Um acordo provincial (a federal-provincial agreement);
  • O acordo Mobilité Francophone;
  • Ou que foram transferidos pela empresa que trabalhavam para o Canadá.

O segundo ponto crucial é que a pontuação para a oferta de emprego baixou consideravelmente. Vamos aos números:

  • 50 pontos para quem possui uma oferta de emprego válida (um LMIA) nos NOCs 0, A OU B.
  • 200 pontos para quem possui uma oferta de emprego válida no NOC 00.

Meu deus! Agora o LMIA não é one-way ticket para o Canadá mais?

Exato! O LMIA ou a oferta de emprego válida (que ainda não está claro para mim se tem que ser um LMIA ou não) não é mais suficiente para você conseguir seu ITA. 

O governo Canandese explica todas essas mudanças nesse artigo aqui. E tirado de lá é o seguinte texto:

“The number of points awarded for a job offer, often made it hard for highly skilled candidates without job offers to get an invitation to apply. This change means Canada will now welcome more highly skilled candidates whose skills and experience will help support and grow our economy.

The change in points for job offers will now also better recognize the skills and experience required for the job, together with the value that it brings to the economy.”

Para quem está precisando praticar mais o inglês, explico com as minhas palavras:

Segundo algumas análises estatísticas que vi em fóruns e grupos, o percentual de pessoas dentro do Federal Skilled Worker Program (que o programa para quem está fora do Canadá) que conseguiam o ITA por causa de um LMIA era próximo de 70% ao ano.

Ou seja, 70% das pessoas chamadas tinham pontuações altíssimas por causa do LMIA. E isso faz a nota de mínima de CRS points ser sempre acima de 450 pontos.

A expectativa de quem mexe com as estatísticas com frequência é que com as mudanças a pontuação caia para próximo de 400. Já que muita gente não vai ter mais 600 pontos pelo LMIA, só 50. Assim quem é realmente qualificado (novamente IELTS acima de 8.0 e mestrado ou doutorado) vai conseguir seu ITA mais rápido.

Conclusão

Gente resumindo, para quem está no Brasil, não mudou muita coisa. As chances de conseguir um LMIA ou oferta de emprego válida continuam pequenas. E você não ganha pontos adicionais por educação.

O fator que continua a pesar mais na sua pontuação é o INGLÊS! Eu fiz uma simulação hoje no CRS TOOL CALCULATOR do governo Canadense e a minha pontuação seria exatamente a MESMA!

Aproveitei para fazer umas simulações com IELTS mais baixo e não tem jeito galera. Pontuação alta somente com IELTS 8.0 para cima e mestrado do aplicante principal. Sem mestrado e com dois ou mais diplomas na avaliação educacional e uma pontuação de IELTS alta também dá para ficar acima de 450 pontos.

Ou seja: INVISTAM no inglês se vocês já tem um bom background educacional. O IELTS acima de 8.0 vai te dar a pontuação que você precisa para ir. Assim como era antes.

Para quem está estudando no Canadá você tem um certo alívio da pressão de ter um IELTS alto. Mas mesmo assim teria que tirar acima de 7.0, de preferência 7.5.

Para quem quer aquela forcinha no IELTS, entra em contato com a gente que nós fizemos pontuações altas de IELTS (Rey – 8.5 overall e Han 8.0 overall). Eu sou professora de preparatório de uma das escolas mais conhecidas e renomadas do Brasil (Juro, não é só merchan não é verdade!).

E eu treino/ensino alunos particulares para atingir aquela nota alta na prova que você precisa. Pode deixar um comentário também que nós entramos em contato!

Curtiu esse post? Compartilhe com os amigos e no Facebook! Queremos ajudar muitas pessoas a conseguirem realizar seus sonhos de ir para o Canadá!