Não é só de sucessos que se constroem as experiências na vida. Hoje vamos falar de um insucesso muito importante: quando se tem o visto negado no processo de imigração, estudos ou trabalho no Canadá.

Eu, pessoalmente, acredito que as histórias de sucesso são super importantes para nos manter motivados. Mas aquelas histórias que nos contam o que deu errado com outras pessoas, e o que pode dar errado conosco, são ainda mais relevantes.

Agradeço demais a esse casal de amigos que compartilhou conosco e com vocês a história deles, para que vocês possam aprender, evitar frustrações e gastos desnecessários.

Mesmo eles tendo o visto negado eles estão contribuindo com os futuros imigrantes ao divulgarem a história deles e eu sei que vocês vão dar aquele mesmo carinho, amor e compaixão para eles nos comentários!

Ajustando os planos

Olá, galera! Somos um casal de amigos do Han e da Rey e temos uma história triste para contar. Nosso projeto Canadá foi cancelado devido a negativa de visto e é isso que iremos compartilhar com vocês.

Nosso plano começou em 2016, e inicialmente queríamos imigrar pelo Express Entry, com o visto de residência permanente, exatamente como a Rey e o Han fizeram. Porém, após verificarmos que não seria fácil melhorar o inglês em pouco tempo para chegar no CLB 9, decidimos tentar o visto de estudante para a minha esposa junto com o visto de trabalho aberto para mim.



A esposa se dedicou MUITO! Após meses de estudo focado, ela conseguiu a nota para entrar no College. Ficamos muito felizes! Ela escolheu um curso interessante, e com todas as documentações reunidas por nós mesmos, enviamos o pedido em maio de 2017.

No começo de Junho de 2017, recebemos o pedido de exames médicos. Pelo que acompanhamos em todos os blogs, grupos de Facebook, canais do Youtube, quando você é convocado para realizar os exames é praticamente visto na mão. Estávamos eufóricos, e marcamos o exame para a semana seguinte.

Yes! Exames médicos!

Fomos no mesmo médico que Han e Rey foram, eles já contaram essa história, e fizemos o exame na mesma clínica. Nesse ponto que começaram os nossos problemas.

O príncipio do fim

Eu possuo uma doença autoimune chamada Doença de Crohn, que foi diagnosticada em 1998. Eu já fiz uma cirurgia em 2002 e desde então vivo normalmente. Entretanto, necessito de medicação constante para controle dessa doença.

Na consulta informamos essa condição ao médico que nos disse que não seria problema. #quemdera Ele nos informou que o IRCC tem preocupações com problemas cardíacos, pulmonares, mas não com problemas gastrointestinais. Nesse momento ficamos mais tranquilos.

Após o exame médico e o envio do laudo pelo médico, a mudança de situação no site geralmente ocorre em questão de dias. O da minha esposa foi instantâneo! Já o meu não mudou de situação. Cerca de três semanas após o exame recebemos um e-mail diretamente do IRCC de Toronto. Nos apavoramos.

No mesmo momento entramos em contato com o médico. Ele pediu um laudo do meu gastroenterologista, que foi prontamente enviado. Nesse sentido não foi muito diferente do que aconteceu com o Han. O Han para quem não sabe/lembra tem pressão alta, e o médico pediu o envio de outros exames mais específicos

Nesse meio tempo, pesquisamos casos de pessoas com doenças crônicas que foram aprovadas para o visto. Encontramos vários casos de doenças graves, como câncer, que foram aprovados. Nós pensamos, como essa doença não é tão grave ou incapacitante assim, deveria ser apenas um procedimento burocrático. E mantivemos a esperança.

Mais espera e outra carta

Novamente, quase um mês de espera. Estávamos, claro, completamente loucos de ansiedade. Infelizmente, recebemos más notícias chamadas: Medical Procedural Fairness Letter.

Para quem não sabe o governo do Canadá possui um limite máximo de gastos de saúde por pessoa para a aprovação de vistos, seja para residência permanente, visto de trabalho ou estudo.

Essa carta nos informava que o meu tratamento para doença de Crohn era muito caro. Apenas a minha medicação, que já estava utilizando a anos, superava, e MUITO, o valor mínimo permitido por pessoa.

Na carta eles explicavam que por esse motivo, não poderia ter o visto aprovado. A minha única opção era enviar uma carta para tentar convencer o médico do IRCC que o meu caso não era uma demanda excessiva (ou seja, gastos altos) para o sistema de saúde canadense!

Se eu não enviasse a carta, teria o visto negado automaticamente. Nós possuíamos 60 dias para enviar a carta para convencer o médico do IRCC.

Nesse momento o desespero foi total! Sinceramente pensamos em desistir ali mesmo, com essa carta. Mas pesquisamos na internet, vimos alguns casos de sucesso utilizando o serviço de advogados canadenses especializados nessa causa, e entramos em contato.

Saibam também que 99.9% das consultorias de imigração NÃO aceitam casos desse tipo. Somente advogados de imigração. #ficaadica Nós perguntamos a várias das mais conhecidas consultorias, e infelizmente eles também não sabiam nos informar sobre advogados imigratórios.

Advogados especializados e documentação

Saibam que serviços especializados como esse são bem caros! Foram 300 CAD apenas para explicarmos nosso problema em uma conversa. No total o investimento nos serviços dos advogados foi 4.500 CAD.

A advogada que nos atendeu informou que já havia lidado com casos assim, com clientes do Brasil mesmo e que teve resultado positivo. Ela nos pediu uma documentação, a qual providenciamos de imediato!

Juntamente a isso, trocamos a minha medicação seguindo as orietações da minha médica. Escolhemos um medicamento com custo menor e anexamos um laudo sobre isso.

A advogada quis cobrir todos os aspectos, a lista de documentos é bem completa:

  • Declaração Estatutária;
  • Declaração estatutária do farmacêutico confirmando o custo dos medicamentos na Colômbia Britânica;
  • Carta de tratamento médico no Brasil confirmando tratamento medicamentoso;
  • Detalhes do seguro de saúde privado confirmando que Humira e Metotrexato são cobertos pelo plano de saúde do estudante;
  • Prova da cobertura atual do empregador para medicamentos;
  • 5-10 Fotos de você e sua esposa em Vancouver;
  • Cartas de referência de seu empregador atual;
  • Prova de habilidades no idioma;
  • Cópia do seu curriculum vitae atualizado;
  • Declaração assinada de capacidade e intenção;
  • Prova de todos os graus e diplomas pós-secundários;
  • Prova de aceitação da esposa na faculdade em Vancouver;
  • Cópias do itinerário atual do voo para o Canadá (sim, já possuíamos passagens compradas e data de início do college!).

Ao todo, foram 65 páginas de documentação bem fundamentada, e achávamos que teríamos um resultado positivo. Mesmo com todos esses documentos exigidos e possuíndo 60 dias para enviar tudo, nos esforçamos muito para enviar antes.

Cerca de um mês após a carta de Medical Fairness do IRCC, nós já enviamos a resposta com toda essa documentação aí de cima. Novamente, mais um mês de espera e então tivemos a resposta final: o visto negado! Na minha resposta estava o marcado o seguinte motivo para a negativa:

O fim do plano Canadá

Com essa carta final, o nosso plano de mudar para o Canadá estava acabado. Nós sempre nos mantivemos positivos e buscamos muito por informações online. Porém é muito difícil encontrar relatos de casos em que se tem o visto negado. Esse é um dos motivos principais para estarmos compartilhando nossa história aqui. 

É preciso falar das histórias que não dão certo! É preciso ter esses relatos para que as pessoas saibam realmente o que esperar e não tomem decisões baseadas somente em relatos positivos (que é o que conseguimos encontrar na internet).

Como conselho para quem precisa de tratamentos caros, antes de aplicar para o visto, converse com o médico! Verifique antes de tudo, se há alguma medicação mais barata que faça o mesmo efeito da utilizada atualmente.  

Caso não seja possível trocar a medicação, o envio da documentação utilizando os serviços de um advogado especializados nisso pode ser um caminho. Mas, como mostramos, não é certo. E não existe uma forma de garantir que por que deu certo para uma pessoa, dará certo para você. Você terá que correr o risco como nós corremos!

Contribuindo com os futuros aplicantes

Esperamos que esse nosso relato possa ajudar a futuros canadenses a tomarem decisões mais informadas em situações mais delicadas como a nossa. Nós imaginamos que mesmo que houvesse relatos de negativas, nós iriamos apostar na positividade e tentar mesmo assim. 

Porém, sabemos hoje que se houvessem mais relatos sobre vistos negados poderíamos ter equilibrado as nossas esperanças e expectativas. Torcemos para que futuros aplicantes sempre tenham sucesso, mas saibam que existem sim muitos casos e histórias não contadas de vistos negados por aí!

Dá-lhe pedal!

A vida continua e hoje nós focamos nossas energias em muito mountain biking e em viagens maravilhosas.