Após o fim do processo do EE chega a etapa das vendas e da preparação para a grande mudança. Nesse post aqui vamos focar no aspecto físico da mudança.

Vai ser aquele papo sobre o que levar, o que vender, o que guardar no Brasil para levar depois e tal. E como foi que nós fizemos o processo de venda disso aí. Prontos? Então vamos lá!

Mudança 1 e os desapegos iniciais

Em Janeiro nós decidimos nos mudar do nosso apartamento. O apartamento que morávamos até Janeiro de 2017 é nosso. Mas por vários motivos nós já estávamos querendo mudar de lá. Um deles era a falta de praticidade no dia-a-dia. Outro motivo é que de qualquer forma, sendo aprovados ou não sabíamos que não queríamos mais ficar lá.

Então decidimos sair logo! Afinal, não dá também para colocar a vida em “modo de espera”. E se não fossemos aprovados? Mudar depois ia ser muito pior no nosso dia-a-dia.

Nessa primeira mudança de 2017 eu já aproveitei para me desfazer de algumas coisas. Coisas que eu já não usava, mas guardava né! A maioria das coisas que me desfiz era papel. Impressionante como a gente guarda papel, gente!

Tinha cópia da época de faculdade, coisas que nunca mais precisei. E que se eu fosse procurar por algo parecido usaria o google, afinal é muito mais prático. Até prova da época do ensino médio eu encontrei. Foi tudo pro LI-XO.



 

Lixo, sem dó nem piedade. Afinal se tem mais de 2 anos que eu nem abro a caixa, eu não preciso daquilo né?

Outra coisa que eu já aproveitei para fazer foi separar as roupas que eu sabia que não eram tão amadas assim e começar um bazar virtual. Algumas por que estão pequenas (eu engordei entre os 20 e os 30, quem não?), outras por que eu usava pouco. Já fui separando, tirando fotos e fiz um álbum de bazar no face.

O Han não quis mexer em muita coisa dele nesse momento. Então fui mais eu mesmo que me desfiz da papelada e das roupinhas. Consegui vender duas blusinhas antes mesmo da gente receber o PPR.

A gente se mudou em Janeiro e nós só recebemos o PPR no final de Fevereiro como vocês podem ver na nossa Timeline. Então, eu já fui me desfazendo de algumas coisas até no espírito de ter uma vida mais prática e menos cheia de entulho. hehehe

Desapegos após PPR

Após o PPR chegar em Fevereiro, eu começei a fazer o bazar das coisas não essenciais. Nós olhávamos e decidiámos o que quase não usávamos e colocávamos a venda na OLX e no Facebook. Mas sem divulgar a situação Canadá.

Inclusive, aproveito para deixar um conselho. Mantenha o máximo possível da sua vida privada. Nós só falávamos para as pessoas sobre o Canadá pessoalmente. Nunca confirmamos ou desconfirmamos nenhum tipo de pergunta de “você vai sair do país?”, “tá indo pra aonde?” no público. Sempre falávamos no privado.

Algumas das coisas que nós nos desfizemos no primeiro e no segundo mês pós PPR:

  • Monitor de computador (que não era usado).
  • Roupas: blusas e blazers, eu consegui vender logo no início.
  • Cortinas (usamos cartolina preta nas janelas – it works! é só colar com fita crepe que não estraga o vidro #ficaadica).
  • Instrumentos musicais – o Han é músico de formação e de coração. Então tinha alguns instrumentos por aqui.
  • Produtos de beleza – alguns que trouxe a mais dos EUA para uso próprio mas nem tinha aberto ainda, aí dava para vender.
  • Frasqueira (que eu nunca tinha usado, mas tinha guardada).
  • Kindle Fire – pelo preço dele lá nem compensa levar e a verdade é que eu não estava usando mais.
  • Ferro de passar e passadeira a vapor.
  • Máquina de fazer pão.

Aproveitando os meses

Nesse período de 4 meses antes da nossa partida, eu aproveitei para já ir aumentando a lista que eu tinha no excel com todas as coisas que decidimos vender. Nós decidimos vender a casa praticamente inteira.

Todos os móveis, mesas, eletrodomésticos, computadores, panelas e tudo mais que você pensar que ocupa muito espaço/é muito pesado.

Nós decidimos fazer um Bazar, além de usar o OLX, para vender essas coisas, mas como esse post ia ficar muito grande com os detalhes do Bazar, decidi dividi-lo em dois. A parte dois sobre Bazar está quase pronta. E está com dicas ótimas para vender as tuas coisas!

A nossa timeline de vendas ficou assim: faltando 4 meses para irmos embora já colocamos muitas coisas a venda, na OLX  e entre os amigos mais próximos. Faltando 2 meses para irmos nós fizemos um Bazar, que vai ser assunto do próximo post. E no mês final o que sobrou foi para OLX.

Eu inclusive aconselho que você comece as vendas das coisas no mínimo 4 meses antes de você ir embora. Senão a chance de você se desfazer das coisas por qualquer valor é muito grande.

Agora pense muito bem em o que você vai se desfazer. Tente o máximo possível não se desfazer logo de itens essenciais. Nós não vendemos coisas que usamos muito no dia-a-dia logo de cara. Iam fazer muita falta. Para essas coisas usamos um esquema de reserva que vai estar bem explicadinho no próximo post.

O que levar e o que guardar

Nesse meio tempo também decidimos o que iríamos levar. Nós decidimos levar somente as roupas que estão boas (nada de coisa que está russa ou meio velha/sem caber direito), os objetos pessoais com valor sentimental e alguns itens que compramos por um precinho super bom nos States que não compensaria vender para depois comprar lá de novo.

Muita roupa vai ser doada, por que nem adianta tentar vender de tão velhinha que está. Muitas coisas de casa vão ficar com nossas mães para elas usarem. E somente algumas coisinhas de valor sentimental mas peso muito grande vão ser guardadas para elas levarem.

Agora no momento já estamos no processo de montar as malas, e estou começando a achar que talvez dê para gente levar quase tudo que programamos deixar aqui. Vamos ver até o fim das malas se coube tudo ou não!