Mais próximo da nossa data de ida, faltando apenas 2 meses para o dia da partida nós iniciamos um Bazar e hoje vamos contar com detalhes para vocês como foi e quais as técnicas que usamos para vender MUITA coisa.

Estratégia MOR para vendas

post its na casa toda
A nossa casa no final de semana do Bazar. hehehe Tipo isso só que menos.

Uma amiga nossa linda (valeu Gê!) nos deu a ideia de fazer um bazar com os amigos, estilo Open House. Ela nos contou de uma amiga dela que foi embora do Brasil e usou essa estratégia.

Um dia essa tal amiga botou post-its com preços em tudo na casa dela e chamou todo mundo para ver o que queriam e levarem.Nós A-DO-RA-MOS a ideia. Afinal facilitaria MUITO esse processo todo de vendas.

Como eu sou a rainha das planilhas (vide nosso Quem somos) eu já tinha feito uma planilha – devo confessar bem reduzida – com algumas coisas e seus preços de venda durante a espera pelo PPR. Eu fui expandindo a lista aos poucos sempre que lembrava de algum item para já facilitar na hora de realizarmos o bazar.

O bazar – agora também tech

Nós decidimos fazer o bazar mas também agilizar a estrutura do Open House. Afinal, com tanta tecnologia nesse mundo, pra que depender das pessoas resolverem aparecer aqui em casa? E outra, a gente é nerd né? Então, no início de maio, quando estava faltando mais ou menos 2 meses para gente ir embora, fizemos um evento no Facebook para divulgar o bazar no fim do mês de maio.

Na descrição do evento colocamos um link para uma planilha no google docs, com os itens listados com o preço certinho. Também fui postando fotos de itens no evento no Facebook para as pessoas relacionarem as coisas da lista com a carinha delas.



Nessa brincadeira vendemos já alguns bons itens! Desde a data de criação do evento no facebook, que foi no início de maio, até a data real do bazar, que foi no fim de maio, vendemos muita coisa via facebook e conversas no whatsapp.

Acrescentando o método de reserva

Outra mudança que acrescentamos no bazar foi o método de venda por RESERVA. A “reserva” de um item era feita com pagamento de metade do valor do item. E aí quando a pessoa viesse buscar o item ela pagava a outra metade.

O itens em “reserva” obrigatória eram os itens que nós iríamos precisar até quase a nossa data de partida. Então esses itens na planilha já constavam que só seriam entregues na semana anterior a nossa partida.

Isso foi uma tremenda mão na roda!!! Ajudou muito a adiantarmos as vendas de itens maiores e mais custosos. Vendemos coisas como máquina de lavar e cama, que ainda eram necessários para nós, pelo método de reserva.

Os dias do bazar

No último final de semana de maio nós fizemos o bazar físico. Nesses dias dàs 14h às 19h as pessoas que tinham interesse vieram aqui em casa e compraram alguns itens.

Devo dizer que todos os itens maiores ou já tinham sido reservados ou não foram comprados no bazar físico. O bazar físico ajudou muito a vender as coisinhas.

Sabe aquele monte de pote, jarrinha, porta copos, tijela, copos e etc que a gente tem em casa? Isso aí foi quase tudo. Além disso algumas roupas (poucas) foram compradas no bazar físico. No total vendemos 62 itens durante o bazar físico.

A maioria foram coisas entre 10-20 reais e alguns itens um pouco mais carinhos de 70-80 reais. Num geral os itens bem mais caros que isso alguém já havia demonstrado interesse e provavelmente já tinha até feito a reserva antes.

Algumas pessoas vieram buscar itens que já haviam reservado, e outras vieram medir ou conferir coisas que já tinham demonstrado interesse mas não haviam decidido reservar.

Usando o PicPay para facilitar suas vendas

Nós usamos um aplicativo chamado PicPay para facilitar as vendas. Fizemos isso pois muita gente hoje em dia só tem conta em um banco, como é o nosso caso.

Por isso muitos de nossos amigos estavam com dificuldades para conseguir nos pagar. Ou por que a agência era longe para eles, ou por que eles não tinham direito a TED ou DOC no banco deles e não queriam gastar com isso (o que eu entendo e inclusive concordo).

Eu percebi que isso poderia atrapalhar o andamento das vendas virtuais, e principalmente das reservas. Já estava meio preocupada inclusive.Aí surgiu uma amiga que estava interessada em um item e me lembrou do PicPay.

E ela me acrescentou uma informação valiosa: o seu amigo pode te transferir dinheiro e essa transferência vira uma cobrança no cartão de crédito dele!

pic pay pague seus amigos

Como funciona o PicPay

Vamos explicar melhor como funciona isso. O PicPay é um app de pagamento, uma carteira virtual. Pode ser utilizado para pagar empresas cadastradas ou amigos que possuam o app instalado no celular.

Na hora que você cria seu perfil você pode escolher cadastrar um cartão de crédito ou depositar dinheiro na sua carteira virtual do PicPay por meio de um boleto.

Aqui no ES o PicPay é o app utilizado para pagar os parquímetros em Vitória. Portanto, é muito conhecido e muita gente já tinha o app instalado no celular. O pessoal já utilizava ele para pagar o parquímetro e ser cobrado no cartão de crédito.

No caso de compra dos itens do bazar pelo cartão de crédito, bastava a pessoa instalar o app, cadastrar o cartão de crédito e fazer uma transferência pro meu nickname.

Eu não tenho acesso a informação de como o meu amigo me pagou. Se ele usou cartão de crédito, ou se ele fez um boleto de depósito para conta virtual dele do PicPay e tinha créditos na carteira, só a PicPay sabe.

Eu só fiquei sabendo que existia um limite no valor que pode ser transferido a você por meio do cartão de crédito por que muitos amigos usaram. Quando chegamos perto de R$1.000 em transferências de cartão, o PicPay me mandou um alerta. Eu só poderia receber transferências de um certo valor – que iria me fazer atingir R$1 mil.

Isso foi um pouco triste, mas como vendemos mais itens de pequeno valor dessa forma, foi tranquilo e não perdemos vendas por isso.

A melhor parte de usar o PicPay é que você pode transferir os créditos direto para sua conta bancária sem ter nenhum desconto. Isso até esse limite de R$1.000 em pagamentos em cartão de crédito por mês.

Se vocês estiverem em casal, cada um pode instalar o PicPay e aí dá para fazer vendas até R$2 mil sendo R$1 mil para cada pessoa né? Isso ajuda muito, eu garanto.

Após o bazar

Após o bazar ainda sobraram alguns itens aqui em casa. Na realidade os móveis maiores não havíamos vendido ainda. O nosso armário, uma estante e a mesa da sala não foram adquiridos durante o bazar.

Então foi tudo para a OLX. E aí meus amigos, HAJA PACIÊNCIA. Esse povo da OLX é muito tenso. Eles querem sempre um preço bem abaixo do que você coloca no anúncio. Então fiquem ligados e já coloquem os preços pra cima quando colocarem no OLX.

Conseguimos vender algumas coisas que sobraram pelo OLX. Mas estava muito devagar. Então depois do bazar eu tirei uma foto da lista com os itens restantes e postei no facebook de forma pública. Assim os amigos podem marcar outras pessoas que eu não conheço e eles conseguem ver.

E aí vendemos mais algumas coisinhas para amigos que não tinham visto o evento no facebook ou não haviam se interessado antes.

Deu pra vender tudo?

Ainda faltam alguns dias para irmos embora e ainda não deu para vender tudinho não. Acreditamos que uma estante irá ficar sem venda e que o armário provavelmente precisará ser doado para nos livrarmos dele. Mas veremos o que irá acontecer.

Quando já estivermos em Vancouver e eu finalmente tiver um computador para atualizar esse post de forma decente eu prometo que atualizo o post.

De qualquer forma achamos que as dicas aqui vão ajudar MUITO a vocês se livrarem das coisas. Na boa, tudo que dá para comprar lá, não tem motivo levar. Então DESAPEGA! Fica muito mais fácil de fazer as malas… mas as malas é assunto pro próximo post.