Soft landing

Hoje vamos falar sobre o soft landing, uma boa opção àqueles que querem imigrar para o Canadá, mas ainda não pretendem fazer uma mudança definitiva. Também vamos falar sobre as mudanças que a pandemia de COVID-19 trouxe para o landing. Mas bora começar do começo, né?

Diferente do que muita gente pensa, não é o fim da análise do processo de imigração que torna alguém residente permanente. Isso só acontece com o landing.

Isso porque é a avaliação do agente de imigração na fronteira que comprova que você cumpriu todas as exigências. Ele é responsável pela última etapa do processo, ao assinar seu COPR, ou Confirmation of Permanent Residence. Com sorte – no caso, de encontrar um agente de bom humor -, você recebe seus votos de “Welcome to Canada” e pronto: seje PR.

Como é o landing?

Lord of the Rings
Quando chegar tá chegado

O landing pode ser feito de diferentes formas (confira os detalhes aqui), dependendo de onde você está.

Se você já está no Canadá

Nesse caso, você pode fazer seu landing de duas formas. A primeira é por meio de uma entrevista agendada em um dos escritórios da Imigração.

Já a segunda é pelo chamado flagpole. Nesse caso, é preciso ir até um posto de fronteira (port of entry) do Canadá por via terrestre, sair do país e entrar novamente.


Se você está em outro país

O landing vai ser feito em uma entrevista com o agente de imigração no aeroporto. Saiba aqui como foi o landing do Casal Nerd.

Depois do COPR, quanto tempo eu tenho para entrar no Canadá?

Ao receber seu visto de entrada no Canadá e o COPR, você também recebe a data até a qual pode fazer seu landing. O prazo costuma ser de 1 ano após o exame médico feito para o processo de imigração. Como essa data pode variar por algum motivo, siga aquela estipulada nos documentos enviados a você.

O que eu preciso levar para o landing?

O que o agente de imigração vai exigir no seu landing é um mistério. Enquanto a maioria olha apenas o básico, outros fazem mil perguntas e pedem comprovação de tudo. Quando estiver arrumando as malas, prepare uma pastinha na sua bagagem de mão contendo:

  • Passaporte com visto de residente permanente
  • COPR
  • Proof of funds atualizado
  • Endereço completo para envio do PR Card
  • Qualquer outro documento que você considere relevante

Essa não é a hora de confiar na tecnologia. Em vez de contar com a bateria do celular ou a wifi do aeroporto, leve tudo em papel. Vai que, né?

O que é esse tal de PR Card?

No momento do landing, o agente pede um endereço para o envio do PR Card. Esse documento vai ser usado na hora de entrar no Canadá no futuro. Para conferir uma estimativa atualizada do prazo para receber o PR card, clique aqui. Quer saber mais sobre como pedir ou renovar o PR Card? Clique aqui.

Apesar de ser considerado um documento oficial de identidade, é melhor não carregar ele sempre na carteira. O prazo para receber outro caso você perca o documento original pode ser uma senhora dor de cabeça na véspera de uma viagem. Por isso, dê preferência a andar com outros documentos de identidade no dia a dia, como carteira de motorista #fikdik

Mas e se eu não quiser já me mudar de imediato para o Canadá? E se ainda tiver coisas para resolver antes de me estabelecer de vez? Para casos como esses, o soft landing pode ser a solução.

Soft landing – vou ali no Canadá e já volto

A expressão soft landing se refere a quando o imigrante chega ao Canadá para “ativar” seu status de PR, mas não estabelece residência de imediato. Isso é possível graças às regras do governo canadense para manter a residência permanente.

Elas exigem que o imigrante esteja fisicamente no Canadá por pelo menos 730 dias a cada 5 anos para conservar o PR. Esses 730 dias, que correspondem a 2 anos, não precisam ser consecutivos. Ou seja, caso necessário, o residente permanente do Canadá pode passar até 3 anos fora do país a cada período de 5 anos.

Por isso, muita gente decide fazer o soft landing pelos mais variados motivos. Tem quem prefira juntar mais dinheiro antes da mudança, ainda tenha assuntos pendentes ou não tenha certeza se quer ir de vez. Exemplo é o que não falta.

Após o soft landing, muitos decidem esperar no Canadá a chegada do PR Card para só então voltar ao país de origem. Outros preferem fornecer ao agente de imigração o endereço de algum conhecido no Canadá para o envio do documento. Depois da chegada do cartão, ele é então enviado ao Brasil para o dono.

No entanto, é bom avaliar se esta é uma boa opção. Considere os riscos que podem estar envolvidos em mandar um documento tão importante pelo correio. Para imigrantes que estão fora do Canadá sem PR Card, a recomendação oficial é pedir um documento chamado PRTD.

PRTD – Permanent Resident Travel Document

O PRTD é o documento que o residente permanente deve usar para entrar no Canadá quando já fez o landing, mas não tem o PR Card. Ele permite apenas uma entrada no país, ou seja, dê entrada no PR Card assim que possível após a viagem. Clique aqui para saber como pedir um PRTD no Brasil.

Soft landing e COVID-19

Durante a pandemia de coronavírus, o soft landing não parece ser uma boa escolha. A razão é que o IRCC é claro ao dizer que imigrantes com COPR devem ter a intenção de se estabelecer em definitivo no Canadá. Além disso, você deve ter preparado um plano para entrar imediatamente em quarentena por 14 dias.

Soft landing Canada
Captura de tela de 09/10/2020

 

 

Uma outra observação é que o landing por meio de flagpole está suspenso durante a pandemia. O motivo é que essa é uma viagem considerada não essencial. Entrevistas presenciais nos escritórios da Imigração também estão canceladas. Confira todas as regras aqui.

O que mais fazer no Canadá depois do soft landing?

Não é porque você ainda não veio de mala e cuia que não dá para já adiantar sua vida canadense. Separe um tempo para riscar alguns itens da sua lista de afazeres. Aproveite para tirar seu SIN (Social Insurance Number), abrir conta no banco e pegar um plano de celular.

Credit score dance
Alegrias da vida adulta: quando o credit score aumenta

Quanto à carteirinha da saúde provincial, confira antes as regras, pois algumas províncias exigem tempo efetivo de residência como pré-requisito. Antes de chegar, pesquise sobre credit score e o que você pode fazer para já começar a construir o seu. Essa é uma pontuação que você ganha por ser considerado um bom ou mau pagador e influencia muito a sua vida no Canadá. Limite de cartão de crédito, concessão de empréstimos, contratação de serviços ou mesmo alugar um imóvel dependem dele.

Você pode também aproveitar para conhecer os bairros da cidade e ver de perto onde gostaria de morar. Saber quais são os locais com melhor transporte público, comércio e áreas de lazer. Quem sabe até marcar visitas a condomínios onde você poderia alugar um apê?

Que tal aproveitar a alavancar sua carreira no Canadá? Enquanto ainda estiver no Brasil, capriche no networking pelo Linkedin e se familiarize com empresas e agências de emprego da cidade. Essa pode ser uma oportunidade para marcar um café ou fazer entrevistas que podem abrir muitas portas no futuro. Com soft landing, cada minuto conta!


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui