Fala moçada! Dessa vez estou aqui para contar como tive que desenrolar um pepino recentemente com a CRA (a Receita Federal do Canadá). Não vai ser um dos meus costumeiros posts mais ligados ao lado emocional da vida de imigrante (a menos que a emoção seja raiva, aí sim! 😂), mas acho que vai ser um post interessante.

Antes de seguir a leitura, você precisa entender como funciona a estrutura de alguns investimentos no Canadá. E eu expliquei tudo isso no post anterior. Para um pouco, vai lá ler como funciona e depois volta aqui para saber qual foi o meu pepino com a CRA.

No último post, terminamos o assunto no ponto que eu resolvi começar a “investir”. Mas antes de chegarmos lá, preciso dar uma pequena explicação sobre o que é a CRA.

A CRA

Bom, se você ainda não sabe, a CRA (Canada Revenue Agency) é basicamente a Receita Federal do Canadá. É ela que toma conta de toda a atividade financeira no país. Ela funciona basicamente igual à Receita Federal do Brasil, com algumas exceções que vou explicar mais pra frente.

tô de olho
Claramente a CRA de olho em você depois que você chegou no Canadá!

Quando você se muda para o Canadá, obviamente a CRA passa a rastrear os seus rendimentos no país e o faz através do seu SIN (Social Identification Number, basicamente seu CPF daqui). Então no seu trabalho você informa o SIN number pois a empresa precisa declarar o quanto está te pagando e recolher os impostos para a CRA.

No banco você também informa o seu SIN para o banco informar quanto seus investimentos renderam. Basicamente, sempre que você for lidar com uma instituição financeira você precisa do SIN number.



Assim como no Brasil, que a gente tem que fazer o IR (Imposto de Renda) todos os anos, aqui a gente faz o Tax Return. Que nada mais é que exatamente a mesma coisa que o IR: Você declara tudo o que você ganhou, aí calcula-se se você pagou mais imposto que deveria ou se você ainda tem que pagar imposto e te cobra ou te devolve o que você pagou a mais.

Como vocês podem ver, o conceito é exatamente o mesmo. O que muda é a forma de preencher, as leis, como declarar certas coisas, e etc…

Fazendo o primeiro Tax Return

Pra nós, que chegamos em 2017, o primeiro Tax Return que nós fizemos foi em 2018. Esse tax return teve que constar várias informações sobre imigração e “dinheiros” que a gente tinha fora do Canadá. Essa parte foi fácil fazer a conta, dava pra contar nos dedos 😂. HAHAHAH Além de mais uma série de coisas que eu realmente tive muitas dúvidas ao tentar fazer por conta própria.

adulting is hard
YEP adulting is hard! Tax returns in new coutries are harder!

Neste momento percebi que realmente as leis aqui eram bem diferentes. Percebi também que eu precisaria de uma mãozinha para desenrolar isso aí. Então decidimos contratar um escritório de contabilidade para nos ajudar com isso.

A Letícia da Real Tax me ajudou bastante a desenrolar pois, sério, tinham umas coisas muito esquisitas. Coisas do tipo: quanto dinheiro você tinha no resto do mundo em 31/12/2014? Aí esse valor tem que ser calculado usando a cotação do dólar de uma determinada data específica (que não é 31/12/2014!). Além de também ter uma série de perguntas com várias possibilidades de interpretação que realmente me deixaram bem confuso.

A parte que menos faz sentido, no entanto, é o fato de que este Tax Return tem que ser enviado em papel! Isso mesmo! Exclusivamente o seu primeiro Tax Return no Canadá deve, obrigatoriamente, ser enviado em papel.

Após o primeiro tax return, os próximos já podem ser feitos eletronicamente. E para quem quer saber, tem milhares de sites e aplicativos que você pode usar para enviar seu tax return. Não precisa usar aquele software maravilhoso fornecido exclusivamente pela Receita Federal não. #liberdade

Então a Real Tax fez todo o nosso tax return, imprimiu e mandou por correio pra CRA processar. Se você quiser a ajuda deles para fazer a sua declaração mande um email para: info@realtaxcanada.com. Fale no email que você chegou neles através do Casal Nerd no Canadá para ter aquele tratamento especial! #paganóis

Partiu investir então!

pato donald dinheiro
Pato donald no país da matemágica me influenciou a saber contar meu dinheiro! HEHEHE

Então cá estou eu de boa na lagoa e um dia eu acordei e pensei: pô, agora acho que tá na hora de eu começar a pensar em investir! É importante lembrar que a gente veio do Brasil com o dinheiro contado pra garantir o proof of funds do processo, e era só isso que a gente tinha mesmo!

Então esse tempo inicial de pelo menos um ano e meio de Canadá, a gente estava fazendo um pé de meia de emergência e se capitalizando. Não posso dizer rê-capitalizando pois, pra isso, eu tinha que ter tido capital anteriormente, né! 😂.

Abri o browser e comecei a pesquisar até que achei a Wealthsimple e comecei a estudar pra entender como funciona investir por aqui. Já sabia da existência das contas de RRSP e de TFSA, mas realmente não sabia muito bem como funciona.

RRSP como benefício nas empresas

Eu já até tinha entendido mais ou menos como a RRSP funciona, pois a minha empresa deposita um percentual do meu salário na minha conta do RRSP. Por causa desse benefício, tive que ir ao banco para abrir a conta, conversar com eles e entender como funcionava. Importante deixar claro aqui que:

  • O RRSP não é obrigatório. A empresa paga isso se ela quiser;
  • O percentual que a minha empresa deposita não é deduzido do meu salário. Ele é sim um benefício que ela me paga a mais! É um benefício de verdade!!! Não é igual esses ~impostos~ benefícios de 13o e FGTS não!
  • Um modelo muito comum de RRSP nas empresas é o famoso matching. Nele você deposita $100 e a empresa deposita mais $100 pra você, por exemplo.

Já a TFSA eu achava que ela era só uma conta poupança. Cá entre nós, o nome é muito misleading né! Tax Free Savings Account! É lógico que eu achei que era uma poupança! Fica a dica aí pros meus amigos programadores de quanto é importante que as coisas tenham nomes significativos! Hehehe

Aí depois de descobrir tudo o que eu expliquei no post anterior, eu decidi começar a investir na minha TFSA. Entrei na minha conta no sistema da CRA pra ver qual era o meu limite e…

O problema…

A mensagem que aparecia era:

TFSA Contribution Room not available
You have no TFSA Room Statement Information. Please contact your Tax Services Office.

o que? não acredito
WHAAAAAT?!?!

O RRSP aparecia corretamente, só a TFSA que estava assim.

Liguei pra CRA, contei o que estava acontecendo, e depois de quase 2h no telefone cheguei em alguém especializado em problemas com a TFSA. Peguei o meu T1 (o espelho do Tax Return) e o cara começou a me perguntar várias informações que estavam lá.

Uma delas em especial: a data da minha imigração.

Neste momento, finalmente o agente da CRA identificou o problema: no meu perfil específico de dentro do setor da TFSA, a data da minha imigração estava em branco.

digitando máquina de escrever
Foi isso que eu imaginei… elas digitando numa máquina de escrever! HEHEHE

Lembra que eu falei que o primeiro tax return tem que ser enviado em papel? Pois é. O pessoal da CRA digita na mão o seu primeiro tax return! NA MÃO! E a pessoa que digitou o meu pulou a minha data de imigração. #leidemurphy Sem a data da minha imigração, era como se eu não fosse residente do Canadá. Logo, eu não teria direito a investir na TFSA.

Pelo que eu entendi, cada setor dentro da CRA tem os seus próprios controles e processos, então não importa que o RRSP estava correto, por exemplo. Isso teria que ser corrigido dentro do setor de TFSA mesmo.

Importante notar que tanto a TFSA quanto a RRSP da Giovanna estavam certinhas! Era só a minha mesmo que estava com problema.

Tá, mas e como resolve?

Após identificado o problema, o agente da CRA me instruiu em como eu deveria proceder para resolver. Eu tive que mandar uma carta pra CRA com uma cópia (comum, em preto e branco mesmo) do meu PR card, e com uma carta datada e assinada com uma série de informações solicitando a correção do meu cadastro. Recebendo essa carta, eles iriam reabrir o meu tax return de 2018, referente ao ano de 2017, para corrigir o problema.

O agente da CRA também me instruiu a não fazer nenhum investimento na TFSA até a situação se resolver e eu passar a ver a minha room of contribution com algum valor disponível na minha conta no sistema. Sabe para evitar mais transtornos?

Então fui eu aos correios, comprei envelope. Lógico que só tinha o pacote com 40!!! Não consegui comprar um único envelope para mandar a que provavelmente seria a única carta da minha vida nos próximos 30 anos pelo menos! Preparei a cartinha, tirei as cópias e mandei.

Como eu disse, algumas coisas aqui são bem atrasadas… essa de mandar uma carta viu! NOSSA SENHORA! Não podia ser uma carta escaneada, e nem um FAX! Sim gente, muita coisa aqui se resolve na base do fax. Bem… mandei a carta e fiquei esperando.

Cadê você room of contribuition?

Passado um mês inteiro e nada… Liguei novamente pra CRA.

Contei toda minha história novamente. A atendente (muito solícita, por sinal), adicionou palavra por palavra do que eu falei nas anotações do meu case. Ela também confirmou que eles haviam recebido algo pelo correio referente à minha pessoa. Porém ela não tinha como saber o que era. E ela também me informou que ninguém havia sido designado ainda para resolver a minha situação.

Nessa mesma ligação ela me pediu para esperar pelo menos mais uns 3 meses pois, aparentemente, nada acontece na CRA em menos de 3 meses.

high five bate aqui
Todos comemora! 🎉

Passados quase quatro meses do envio da carta, um belo dia eu abri a minha conta da CRA e estava lá o meu room for contribution da TFSA!

A partir daí eu finalmente pude começar a investir na minha TFSA 😁.

Honestamente, eu sei que essa não é a pior história de todas com relação a “coisas que podem dar errado com a CRA”. Eu mesmo, inclusive, tenho amigos que já passaram/estão passando por situações muito, mas muito piores e com consequências muito mais sérias.

Mas essa foi a história que aconteceu comigo 🤷‍♂️ então to aqui compartilhando com vocês.

Espero que tenham curtido, e May the Force be with you!